Bem vindo!

Que você seja mais um amigo(leitor) de Jorge amado!















19/04/2012

Desde já agradecemos a todos os colegas e amigos que se fizeram presentes ontem na nossa apresentação.
Dividimos esse sucesso com vocês! Obrigada!

12/04/2012

Não sou religioso mas tenho assistido a muita mágica. Sou supersticioso e acredito em milagres. A vida é feita de acontecimentos comuns e de milagres.
Jorge Amado


11/04/2012


Vídio produzido pela equipe Centenário Jorge Amado


video
Avô, mesmo que a gente morra, é melhor morrer de repetição na  mão, brigando com o coronel, que morrer em cima da terra, debaixo de relho, sem reagir. Mesmo que seja pra morrer nós deve dividir essas terras, tomar elas para gente. Mesmo que seja um dia só que a gente tenha elas, paga a pena de morrer".
(Os Subterrâneos da Liberdade - Agonia da Noite)



02/04/2012

Não paga a pena

"... na vida só vale o amor e a amizade. O resto é tudo pinóia, é tudo presunção, não paga a pena...".
.
Jorge Amado. In: Dona Flor e seus dois maridos
 
 

30/03/2012


Eventos Literários na Bahia




A 10º Bienal do Livro da Bahia tem como tema principal o Centenário de Nascimento do escritor Jorge Amado, que será comemorado em agosto de 2012. Participando das homenagens, a Fundação Pedro Calmon realizará, durante a Bienal, o lançamento da coletânea Jorge Amado de todas as cores, com a presença dos oito autores da obra: Charles Kiefer, Spacca, Lima Trindade, Edilene Dias Matos, João Edson Rufino, Benedito Veiga, Nancy Vieira e Cláudio José M. de Oliveira. Estes escritores participaram, em agosto de 2010, do Seminário Atualidades em Jorge Amado, na Academia de Letras da Bahia, promovido pela Fundação Pedro Calmon para discutir as obras do mais popular escritor baiano. Além das obras amadianas, o público poderá conferir no estande do Governo do Estado, livros de importantes escritores baianos e das novas gerações da literatura do estado. Um dos destaques será a presença do escritor Ruy Espinheira Filho, autor de dezenas de obras e vencedor de importantes prêmios literários no Brasil.

CURIOSIDADES SOBRE JORGE AMADO


Dizem que Pablo Picasso aprendeu a desenhar antes de dar os primeiros passos. Embora não tenha sido tão precoce, o escritor brasileiro Jorge Amado publicou seu primeiro livro bastante jovem. O País do Carnaval, seu primeiro romance, foi editado quando Jorge conta 19 anos de idade.

Perseguido por seu ativismo politico, Amado foi obrigado a viver em vários países até voltar em definitivo para o Brasil. Membro do Partido Comunista Brasileiro (pelo qual se elegeu deputado), Amado teve seus livros recolhidos e queimados em praça pública durante o governo do então presidente Getúlio Vargas. Entre os países que acolheram o autor de Tieta do Agreste e Jubiabá estão Argentina, Uruguai, França e a antiga Tchecoslováquia.

Jorge Amado conheceu dezenas de jornalistas e escritores em suas andanças pelo mundo. Além de marido da famosa escritora Zélia Gattai, o baiano Jorge era amigo de Carybé, Pierre Vergé e Dorival Caymmi. Também conviveu com o cineasta Glauber Rocha, outro baiano ilustre. Conheceu Rubem Braga (com quem dividiu o mesmo teto por um curto período), Rachel de Queiróz (que o incentivou a entrar na militância política) e o chileno Pablo Neruda (que foi companheiro de viagens). Além de conhecido de Vinicíus de Morais e receber a visita do cineasta Roman Polanski, teve intensa amizade com os intelectuais franceses Simone de Beauvoir e Jean-Paul Sartre.

Os personagens mais famosos do escritor baiano foram, talvez, Tieta do Agreste, Gabriela, Quincas Berro D´Água e Teresa Batista.

Jorge Amado é um dos escritores brasileiros mais traduzidos no mundo. É também um cujo obra recebeu mais adaptações. Terras do Sem-fim, Tieta do Agreste e Gabriela, por exemplo, viraram novelas transmitidas em horário nobre.

29/03/2012

Biografia do Jorge Amado



O ano do Amado...
 
Além de eventos no Brasil, serão realizadas homenagens ao escritor na França, Inglaterra, Espanha e Portugal.

Em homenagem ao centenário de nascimento de Jorge Amado, a Academia Brasileira de Letras (ABL) realiza uma série de atividades comemorativas no Brasil e em quatro países da Europa  –  França, Inglaterra, Espanha e Portugal – com conferências, exposições, shows, e mesas-redondas sobre o escritor. 

A primeira delas acontecerá durante o Salon du Livre, que começa hoje, 16, e vai até 19 de março, em Paris, que, juntamente com a universidade Sorbonne, apresenta a “Jornada Jorge Amado”, com a presença dos escritores Ana Maria Machado, Nélida Piñon e Paulo Rouanet. 

No Brasil, haverá também uma grande exposição durante o mês de agosto, com palestras e ciclo de filmes baseados na obra de Jorge Amado.

28/03/2012

Professora orientadora do projeto Mílvia Duarte
A Fundação e Casa de Jorge Amado, completa 25 anos...
Conheçam um trabalho muito importante para a nossa Literatura, acessem o site: www.jorgeamado.org.br
Jorge Amado, Zélia Gattai, suas obras, vídeos, fotos e exposições, muito interessante!

27/03/2012

Recebendo as orientações com a professora orientadora do projeto Mílvia Duarte.
Equipe trabalhando duro para a montagem da mostra pedagógica.
Obras de Jorge
  • O País do Carnaval, romance - 1930
  • Cacau, romance - 1933
  • Suor, romance - 1934
  • Jubiabá, romance - 1935
  • Mar morto, romance 0 1936
  • Capitães da areia, romance - 1937
  • A estrada do mar, poesia - 1938
  • ABC de Castro Alves, biografia - 1941
  • O cavaleiro da esperança, biografia - 1942
  • Terras do Sem-Fim, romance - 1943
  • São Jorge dos Ilhéus, romance - 1944
  • Bahia de Todos os Santos, guia - 1945
  • Seara vermelha, romance - 1946
  • O amor do soldado, teatro - 1947
  • O mundo da paz, viagens - 1951
  • Os subterrâneos da liberdade, romance - 1954
  • Gabriela, cravo e canela, romance - 1958
  • A morte e a morte de Quincas Berro d'Água, romance - 1961
  • Os velhos marinheiros ou o capitão de longo curso, romance - 1961
  • Os pastores da noite, romance - 1964
  • O Compadre de Ogum,romance - 1964
  • Dona Flor e Seus Dois Maridos, romance - 1966
  • Tenda dos milagres, romance - 1969
  • Teresa Batista cansada de guerra, romance - 1972
  • O gato Malhado e a andorinha Sinhá, historieta infanto-juvenil - 1976
  • Tieta do Agreste, romance - 1977
  • Farda, fardão, camisola de dormir, romance - 1979
  • Do recente milagre dos pássaros, contos - 1979
  • O menino grapiúna, memórias - 1982
  • A bola e o goleiro, literatura infantil - 1984
  • Tocaia grande, romance - 1984
  • O sumiço da santa, romance - 1988
  • Navegação de cabotagem, memórias - 1992
  • A descoberta da América pelos turcos, romance - 1994
  • O milagre dos pássaros , fábula -1997
  • Hora da Guerra, crônicas - 2008

25/03/2012

Jorge Amado é o autor mais conhecido no exterior.
Foi publicado em mais de 50 países e 48 idiomas.
Sua obra inspirou produções no cinema e TV.
Imortalizou seu nome na Academia Brasileira de Letras.
(1912 - 2001)

Epígrafe

Epígrafe Jorge Amado

Custava-lhe esforço aquela decência tranqüila, aquela face calma - nervosa, no cansaço da noite maldormida, da luta inglória contra o desejo em brasa do seu ventre. Por fora água parada, por dentro uma fogueira acesa."Jorge Amado

Poemas

Poemas de Jorge Amado

"A negra sorriu:
- Tá vendo?
- Tou. A gente liberta o negro.
A negra ia apanhando o tabuleiro. Henrique ajudou-a a botar as latas vazias em cima. Ela perguntou:
- Você sabe qual é a coisa mais melhor do mundo?
- Qual é, minha tia?
- Adivinhe.
- Mulher...
- Não.
- Cachaça...
- Não.
- Feijoada...
- Não sabe o que é? É cavalo. Se não fosse cavalo, branco montava em negro..."
Jorge Amado

21/03/2012

14 de Março: Dia da Poesia


Para comemorar o dia 14 de março, postamos aqui um poema de Myriam Fraga, escritora e diretora executiva da Fundação Casa de Jorge Amado há 25 anos:

Ars poetica
Poesia é coisa
De mulheres.
Um serviço usual,
Reacender de fogos.
Nas esquinas da morte,
Enterrei a gorda
Placenta enxundiosa
E caminhei serena
Sobre as brasas
Até o lado de lá
Onde o demônio habita.
Poesia é sempre assim:
Uma alquimia de fetos,
Um lento porejar
De venenos sob a pele.
Poesia é a arte
Da rapina.
Não a caça, propriamente,
Mas sempre nas mãos
Um lampejo de sangue.
Em vão,
Procuro meu destino:
No pássaro esquartejado
A escritura das vísceras.
Poesia como antojos,
Como um ventre crescendo,
A pele esticada
De úteros estalando.
Poesia é esta paixão
Delicada e perversa,
Esta umidade perolada
A escorrer de meu corpo,
Empapando-me as roupas
Como uma água de febre.

Pequena Biografia de Jorge Amado



Jorge Amado nasceu a 10 de agosto de 1912, na fazenda Auricídia, no distrito de Ferradas, município de Itabuna, sul do Estado da Bahia. Filho do fazendeiro de cacau João Amado de Faria e de Eulália Leal Amado.
Com um ano de idade, foi para Ilhéus, onde passou a infância. Fez os estudos secundários no Colégio Antônio Vieira e no Ginásio Ipiranga, em Salvador. Neste período, começou a trabalhar em jornais e a participar da vida literária, sendo um dos fundadores da Academia dos Rebeldes.
Publicou seu primeiro romance, O país do carnaval, em 1931. Casou-se em 1933, com Matilde Garcia Rosa, com quem teve uma filha, Lila. Nesse ano publicou seu segundo romance, Cacau.
Formou-se pela Faculdade Nacional de Direito, no Rio de Janeiro, em 1935. Militante comunista, foi obrigado a exilar-se na Argentina e no Uruguai entre 1941 e 1942, período em que fez longa viagem pela América Latina. Ao voltar, em 1944, separou-se de Matilde Garcia Rosa.
Em 1945, foi eleito membro da Assembléia Nacional Constituinte, na legenda do Partido Comunista Brasileiro (PCB), tendo sido o deputado federal mais votado do Estado de São Paulo. Jorge Amado foi o autor da lei, ainda hoje em vigor, que assegura o direito à liberdade de culto religioso. Nesse mesmo ano, casou-se com Zélia Gattai.
Em 1947, ano do nascimento de João Jorge, primeiro filho do casal, o PCB foi declarado ilegal e seus membros perseguidos e presos. Jorge Amado teve que se exilar com a família na França, onde ficou até 1950, quando foi expulso. Em 1949, morreu no Rio de Janeiro sua filha Lila. Entre 1950 e 1952, viveu em Praga, onde nasceu sua filha Paloma.
De volta ao Brasil, Jorge Amado afastou-se, em 1955, da militância política, sem, no entanto, deixar os quadros do Partido Comunista. Dedicou-se, a partir de então, inteiramente à literatura. Foi eleito, em 6 de abril de 1961, para a cadeira de número 23, da Academia Brasileira de Letras, que tem por patrono José de Alencar e por primeiro ocupante Machado de Assis.
A obra literária de Jorge Amado conheceu inúmeras adaptações para cinema, teatro e televisão, além de ter sido tema de escolas de samba em várias partes do Brasil. Seus livros foram traduzidos para 49 idiomas, existindo também exemplares em braile e em formato de audiolivro.
Jorge Amado morreu em Salvador, no dia 6 de agosto de 2001. Foi cremado conforme seu desejo, e suas cinzas foram enterradas no jardim de sua residência na Rua Alagoinhas, no dia em que completaria 89 anos.
A obra de Jorge Amado mereceu diversos prêmios nacionais e internacionais, entre os quais destacam-se: Stalin da Paz (União Soviética, 1951), Latinidade (França, 1971), Nonino (Itália, 1982), Dimitrov (Bulgária, 1989), Pablo Neruda (Rússia, 1989), Etruria de Literatura (Itália, 1989), Cino Del Duca (França, 1990), Mediterrâneo (Itália, 1990), Vitaliano Brancatti (Itália, 1995), Luis de Camões (Brasil, Portugal, 1995), Jabuti (Brasil, 1959, 1995) e Ministério da Cultura (Brasil, 1997).
Recebeu títulos de Comendador e de Grande Oficial, nas ordens da Venezuela, França, Espanha, Portugal, Chile e Argentina; além de ter sido feito Doutor Honoris Causa em 10 universidades, no Brasil, na Itália, na França, em Portugal e em Israel. O título de Doutor pela Sorbonne, na França, foi o último que recebeu pessoalmente, em 1998, em sua última viagem a Paris, quando já estava doente.
Jorge Amado orgulhava-se do título de Obá, posto civil que exercia no Ilê Axé Opô Afonjá, na Bahia.

http://www.jorgeamado.org.br/?page_id=75